[Lançamentos] A parceira Landmark conta o que há de novo

19:55

Não sei se vocês já notaram ali na barrinha do lado, mas fechamos a primeira parceria com uma editora! Weeee! A editora em questão é a Landmark, que além de ter um catálogo muito bacana cheio de clássicos, ainda tem muitos desses clássicos em edição bilíngue. Eu acho o máximo, haha. 

DRÁCULA, DE BRAM STOKER
Edição bilíngue de luxo em capa dura

A EDITORA LANDMARK TRAZ AGORA A MAIOR OBRA DE TERROR DA LITERATURA EM EXCLUSIVA EDIÇÃO DE LUXO EM CAPA DURA BILÍNGUE, APRESENTANDO O PRIMEIRO CAPÍTULO INÉDITO DA OBRA-PRIMA DE BRAM STOKER NO ANO EM QUE SE CELEBRA O CENTENÁRIO DE SEU FALECIMENTO.  
A Editora Landmark inclui ainda nesta edição bilíngue de luxo em capa dura do romance “Drácula”, um primeiro capítulo excluído por Stoker quando da publicação em 1897. Mais tarde este capítulo, rebatizado como o conto “O Convidado de Drácula - Dracula’s Guest”, seria publicado em 1914 pela viúva de Stoker e, desde então, a crítica literária vem discutindo a importância deste conto como um capítulo introdutório de “Drácula”. A história gira em torno de um viajante inglês não identificado, associado a Jonathan Harker, nos momentos anteriores à sua partida para a Transilvânia, onde o mesmo se depara com acontecimentos sobrenaturais, forças desconhecidas e criaturas fantásticas. 


GRANDES EXPECTATIVAS, DE CHARLES DICKENS Edição bilíngue de luxo em capa dura

A Editora Landmark, em comemoração ao bicentenário do nascimento de Charles Dickens, lança em exclusiva edição bilíngue de luxo em capa dura, “Grandes Esperanças”, marco da literatura inglesa do século 19. 

Charles Dickens é um dos maiores escritores de todos os tempos, certamente o maior escritor britânico da Era Vitoriana. A fama e o alcance dos seus romances e contos ultrapassaram o período de sua vida, sendo considerado como um dos maiores escritores ingleses e um dos introdutores da crítica social na literatura de ficção inglesa. 

“Grandes Esperanças” é considerado uma das obras-primas de Charles Dickens, dividindo a posição ao lado de “David Copperfield” e “Oliver Twist”. Dividido em três partes, discutindo a bondade, a culpa e o desejo de seus personagens, o romance originalmente foi escrito como um folhetim e publicado na revista literária semanal “All the Year Round”, de propriedade do próprio Dickens, entre dezembro de 1860 e agosto de 1861. Posteriormente, foi publicado em três volumes pela editora Chapman & Hall, de Londres. 

MOBY DICK - A BALEIA, DE HERMAN MELVILLE Edição bilíngue de luxo em capa dura

LEIA MAIS CLICANDO AQUI.
“Moby Dick” foi escrito pelo escritor norte-americano Herman Melville e publicado originalmente em três fascículos com o título “A Baleia”, em Londres, em 1851, e ainda no mesmo ano em Nova York em edição integral. Somente a partir de sua segunda edição que ganha seu título definitivo, “Moby Dick”. 

A obra foi inicialmente mal-recebida pela crítica literária, assim como pelo público, mas com o passar do tempo tornou-se uma das mais respeitadas obras da literatura em língua inglesa. Inspirado pelas experiências pessoais do autor e por outros acontecimentos que marcaram o período, Moby Dick representa, além de uma complexa narrativa de ação, uma profunda reflexão sobre o confronto entre o homem e a natureza, ou segundo alguns especialistas, entre o homem e o Criador, reforçada pela ‘universalidade’ dos tripulantes do navio “Pequod”, o que sugere uma representação da Humanidade. Obra de profundo simbolismo, inclui referências a temas diversos como religião, biologia, idealismo, pragmatismo e vingança. Melville tomou como base inspiradora a história do capitão George Pollard e de seu navio baleeiro “Essex” que, em 1823, foi atingido por uma baleia antes de naufragar. Depois que o “Essex” afundou, Pollard e sua tripulação boiaram no mar sem comida ou água por três meses, e recorreram ao canibalismo antes de serem resgatados.  



SEMENTES DA RAZÃO, DE CELSO ABRAHÃO


LEIA MAIS CLICANDO AQUI.
O século XIII foi o período mais brilhante da Idade Média e, em nenhuma outra época, a influência da Igreja foi tão vasta, tão profunda e tão eficaz. A história registrou tiranias e vinganças, aponta crimes e atrocidades, que seria pueril querer ocultar ou justificar, mas, qual século não os praticou? Que montam estas sombras diante das luzes de uma grande civilização feita mais de grandeza moral e de elevação das almas do que de progresso material? É também o auge do Feudalismo, o início do renascimento comercial, onde a sociedade era dividida em senhores e servos, dividida entre senhores donos da terra e servos, aprisionados à sua condição, a trabalhar a terra e a pagar vários tipos de corvéia. Um romance sobre uma época de compromissos e fidelidade, sobre antigas tradições e sobre os pedreiros-livres que nos faz viajar no tempo e surpreendentemente constatar que os costumes e os valores orientados pelo ideário e pelo imaginário medievais, aparentemente tão remotos, ainda persistem arraigados em nossos corações e mentes.

Você vai gostar destes:

4 comentários

  1. Ah, não tinha visto a parceria, parabéns (:

    Li Drácula uma vez, mas achei a versão tão pequena :S , quero ler novamente!

    Gostei dos títulos da editora ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      Ah, eu quero ler o livro na íntegra! E as edições da Landmark são legais porque são bilíngues, acho bem bacana.
      Beijos!

      Excluir
  2. Oi!
    Quero muito Grandes Esperanças, adorei a capa e a sinopse é maravilhosa.

    Beijão!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Translate

Arquivo