Eu, Robô - Isaac Asimov

17:02



Título: Eu, Robô (I, robot)
Autor: Isaac Asimov
N.º de páginas: 318
Editora: Ediouro
“Mas, como pode ver,  você não pode diferenciar entre um robô e o melhor dos seres humanos.”
pág 261

Finalmeeeente, consegui terminar de ler esse cláássico de Asimov. Acho que mais clássico pela fama que fez o filme homônimo (que ainda não assisti), porque clássica mesmo é sua Trilogia Fundação. 
Bem, não digo finalmente pelo livro ter sido difícil de ler. Mesmo porque sou uma apaixonada por sci-fi. O negócio é que a cada vez que eu tentava lê-lo estava em um momento bastante movimentado.  Dessa vez a preocupação foi com o casamento (!), mas após a mudança consegui me concentrar e ler o restante em um dia só. 


Eu, Robô é um livro de contos que, semelhante às Crônicas Marcianas de Bradbury, formam uma espécie de romance.  Essa ligação se dá por causa das costuras entre um texto e outro feitas de trechos da entrevista com a importante robopsicóloga Susan Calvin.

Lançado em 1950, o livro ficou conhecido também por apresentar as Três leis fundamentais da Robótica, que  superaram o complexo de Frankenstein que os robôs causavam à humanidade até então. Com essas leis um robô jamais poderia ferir um ser humano ou por inação deixar que algum fosse ferido, 2- deveria obedecer aos humanos, 3-deveriam se auto-preservar, em ordem de importância.


A entrevista à robopsicóloga data do ano de 2057 e por meio de suas histórias de todo tipo sobre robôs conhecemos brevemente a história da robótica, desde o início com androides domésticos até máquinas que transformaram o planeta em uma verdadeira utopia onde tudo é organizado e não há fome ou desemprego. Afinal, essas máquinas obedecendo a Primeira Lei deveriam cuidar para que seus humanos vivessem do melhor modo possível.

Algo que não posso deixar de observar, além de que as comparações e metáforas são bastante espirituosas, é que a palavra androide não foi usada hora nenhuma nesse livro (!).Na época ainda não devia existir, já que foi o próprio Asimov que inventou a palavra robótica.

As histórias em si são muito inteligentes e cheias de suspense e mistérios desvendados pela nossa “Sherlocka” Dra. Calvin.  E cheias de criatividade também (para os mais matemáticos talvez apenas um bocado de física)! Há robôs babá, uma viagem pela dobra espacial onde se morre momentaneamente, cérebros positrônicos dos robôs tendo colapsos, robô com mania de grandeza, robô “Déscartes” (penso, logo existo), político sendo acusado de ser um robô... um livro surpreendente, gostoso sobretudo pra quem gosta de ficção científica (como eu \o/).

QUOTES


“As pessoas dizem “tão claro quanto o nariz na sua cara.’ Mas o quanto do nariz na sua cara você vê até que coloquem um espelho diante do seu rosto?”
pág 282



“- Mas você está me dizendo, Susan, (...) que a humanidade perdeu o direito de escolher seu próprio futuro.
- Ela nunca o teve, realmente.Sempre esteve a mercê de forças econômicas e sociais que não entendia, sujeita ao capricho do clima e às fortunas da guerra. ”
pág 312

Você vai gostar destes:

0 comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Translate

Arquivo